…Huh. Bom,  tenho um pedido de desculpas a apresentar aos futuros donos dos exemplares assinados da tiragem inicial.

Ao que pareceu eu fiz um errozito que, pelo menos para mim, é de alguma consequência. Com todas as trocas e baldrocas de correcções e revisões e whatnot, há quatro singelas palavras que retirei da secção inicial do Epílogo para as colocar mais à frente and then… Esqueci-me de as colocar efectivamente e entregar na prova final que seguiu para impressão.

Mea culpa, mea culpa.

Assim, em jeito de errata:

Onde se lê, na página 382: “… que ladeavam o longo pano de muralha conhecido como Portões do Império. A ascensão demorara-lhes horas, cada passo …” deveria ler-se: “… que ladeavam o longo pano de muralha conhecido como Portões do Império. “Isto é uma loucura.” A ascensão demorara-lhes horas, cada passo…”.
Again, my bad. Os meus editores acharam estranho mas não objectaram à ausência das palavras, achando que era alguma manobra estilística minha (porque a compreensão em relação ao resto do Epílogo não é quase afectada). Estão portanto isentos de qualquer tipo de culpa on this one.

Prometo que este e outros erros que possam haver (felizmente os outros, a haver, serão typos e não afectarão a compreensão do texto) estarão corrigidos na segunda tiragem. Aos (futuros) donos da tiragem inicial: fico a dever-vos um cafézito pelo sarilho.

Boas viagens em Eos… mesmo que acidentadas!

Advertisements